Conecte-se conosco

Sociedade

Após vacinação rápida e lockdown, Israel não registra morte por Covid pela 1ª vez em 10 meses

Publicado

em

Pessoas andam na rua em Tel Aviv, no dia 18 de abril, após a suspensão da exigência de máscaras em ambientes abertos em Israel. — Foto: Amir Cohen/Reuters

Doença recuou depois de atingir seu pico em janeiro deste ano. O governo israelense começou a flexibilizar as restrições à circulação de pessoas do lockdown um mês depois, à medida que as vacinações contra a Covid-19 seguiam de forma mais ampla.

Após adotar uma estratégia de vacinação acelerada e lockdown rigoroso, Israel não registrou novas mortes por Covid-19 num período de 24 horas pela primeira vez em 10 meses.

Ao longo da pandemia, 6.346 pessoas morreram no país, segundo dados do Ministério da Saúde israelense. A última vez que Israel relatou zero mortes por Covid-19 foi no final de junho de 2020, depois que outro lockdown conteve o avanço da primeira onda de infecções.

A doença recuou depois de atingir seu pico em janeiro deste ano. O governo israelense começou a flexibilizar as restrições à circulação de pessoas do lockdown um mês depois, à medida que as vacinações contra a Covid-19 seguiam de forma mais ampla.

Israel acaba com obrigatoriedade de máscaras

Israel tem a maior taxa de vacinação do mundo. Na quinta-feira, o país atingiu a marca de 5 milhões de pessoas vacinadas com as duas doses, o correspondente a 52% dos 9 milhões de habitantes — o Brasil, por exemplo, vacinou completamente 5% de seus 212 milhões de habitantes.

“Esta é uma grande conquista para o sistema de saúde e os cidadãos israelenses. Juntos, estamos erradicando o coronavírus”, tuitou o ministro da Saúde, Yuli Edelstein, na sexta-feira (23/04).


Na semana passada, Eyal Leshem, diretor do maior hospital de Israel, o Sheba Medical Center, disse que o país pode estar perto de alcançar a “imunidade do rebanho” ou “imunidade coletiva”. A imunidade do rebanho ocorre quando um número suficiente de uma população tem proteção contra uma infecção impedindo que ela se espalhe com força.

Respirando livremente, dizia a manchete do jornal de maior circulação no país, o Israel Hayom.

“Ficar sem máscara pela primeira vez em muito tempo é estranho. Mas é um estranho bom”, disse Amitai Hallgarten, de 19 anos, enquanto se bronzeava em um parque. “Se eu precisar ficar de máscara em ambientes fechados para isso terminar, farei tudo o que puder.”

OMS e Imunidade

Os especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) estimam que pelo menos 65% a 70% da população precisa de cobertura de vacinação antes que a imunidade de rebanho seja alcançada. Mas ainda assim há dúvidas se esse patamar seria suficiente para conter a doença.

Leshem disse que a imunidade coletiva é a “única explicação” para a queda contínua de casos em Israel, à medida que restrições à circulação de pessoas são suspensas.

“Há uma queda contínua, apesar de voltar à normalidade”, disse ele. “Isso nos diz que mesmo se uma pessoa estiver infectada, a maioria das pessoas que encontra andando por aí não será infectada por ela.”

Israel começou sua campanha de vacinação em dezembro passado e, desde então, tem sido a nação líder mundial em número de doses aplicadas per capita.

O país até agora aplicou apenas a vacina desenvolvida pela dupla Pfizer e BioNTech. Em fevereiro, o ministério da Saúde de Israel disse que estudos revelaram que o risco de doenças causadas pelo vírus caiu 95,8% entre as pessoas que receberam as duas doses dessa vacina.

Fonte: DiBahia News com informações da CNN

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Porto Seguro

Atriz da Globo Marcella Maia diz ser vítima de transfobia em Porto Seguro

Publicado

em

Por

Voiced by Amazon Polly

A atriz Marcella Maia, de 30 anos, denunciou, nesta quinta-feira (23), ter sido vítima de transfobia em Porto Seguro, Bahia. A artista mostrou os hematomas na região do pescoço, ombro e seio aos seguidores nas redes sociais. “Preconceito existe. Se cuidem. Sem chão, sem forças. Tô viva”, disse a atriz. “Meu corpo não merece isso”, continuou, acrescentando a hashtag “transfobia”.

A atriz compartilhou as imagens com o mais de 282 mil seguidores que possui no Instagram
Imagens: reprodução

Em nota da assessoria de Marcela, o caso aconteceu na madrugada de quarta-feira (22) na vila de Caraíva. Um boletim de ocorrência sobre o caso foi registrado na delegacia de Porto Seguro.

“A atriz está segura no momento e todas as medidas legais já estão sendo providenciadas”, disse o comunicado, que ainda agradeceu pela preocupação dos seguidores. 

Marcella viverá a personagem Morte na próxima novela das 19h da Rede Globo, “Quanto Mais Vida Melhor”. Em entrevista à Patrícia Kogut em 2020, a atriz revelou que ocultava o fato de ser uma mulher transexual. 

Continue lendo

Copyright © 2021 DiBahia CNPJ: 41.275.067/0001-16