Conecte-se conosco

Bahia

Governo do Estado fomenta ampliação do mercado de cacau e chocolates

Publicado

em

Voiced by Amazon Polly

Que o chocolate é um alimento adorado pelos brasileiros por ser de um sabor que agrada quase todos os públicos, não resta dúvidas. Com tantas opções entre chocolates finos, premium, gourmet, com 20, 30, 40, 50 e até 100% cacau, fica difícil escolher qual consumir, mas a agricultura familiar baiana tem possibilitado que esta iguaria tenha um lugar de destaque nas vendas e no consumo do país.

De acordo com o Chefe de gabinete da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Jeandro Ribeiro, as características fundiárias da região cacaueira mudaram, dos 68 mil estabelecimentos que plantam cacau, hoje, na Bahia, 53 mil são da agricultura familiar, o que traz para o estado importantes contribuições no ponto de vista cultural e econômico. “Diante desse cenário, o Governo do Estado através da SDR unificou esforço para promover ações e políticas públicas para a agricultura familiar na região do cacau. Nunca na história da Bahia a agricultura familiar recebeu tanto investimento, nestes últimos seis anos foram investidos mais de R$ 42 milhões em projetos de inclusão socioprodutiva em toda a região produtora de cacau e derivados”, avaliou Jeandro.

Os chocolates da Bahia Cacau, marca da Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bacia do Rio Salgado e Adjacências (Coopfesba), localizada em Ibicaraí despontam no mercado, e já são comercializados em 40 municípios baianos e em seis estados brasileiros, em supermercados, padarias, lojas de conveniência e de produtos naturais, restaurantes e plataformas marketplaces especializadas em delivery de alimentos.

O faturamento anual é de R$900 mil para a cooperativa, já os 104 cooperados tem uma renda mensal de cerca de um salário mínimo. Esse resultado é fruto de R$ 3 milhões em investimento do Governo do Estado, por meio do Bahia Produtiva.

A Coopfesba processa 2.500 quilos de amêndoas de cacau por mês, sendo mil quilos destinados para produção de nibs e 1.500 quilos para produção de chocolate em barras de 80g e 20g, com variados percentuais de teor de cacau, bombons de chocolate com frutas desidratadas e geleia de cacau.

Segundo o presidente da Coopfesba, Osaná Crisóstomo, com o apoio do Governo do Estado à agricultura familiar através do Programa Bahia Produtiva, são estendidas a produção e a estratégia do mercado, além de propiciar a aquisição de equipamentos, bem como a melhoria na qualidade do cacau. “Seremos identificados e caracterizados como os melhores chocolateiros do mundo, no futuro bem próximo”, garantiu Osaná.

Na Bahia estão sendo investidos R$ 2,5 milhões em ações que incluem o aumento da capacidade produtiva das cooperativas, o que acarretará a ampliação e o desenvolvimento de novos mercados. Algumas soluções estão sendo produzidas para dar viabilidade a estes mercados como o desenvolvimento de embalagens competitivas para o mercado, capacitação de equipes de vendas, estratégias de posicionamento de nova marca, estratégia de comercialização, apoio na participação em eventos nacionais e internacionais, dentre outras.

Todas essas estratégias aliadas com um cacau de qualidade, indicação de procedência, certeza de um produto totalmente vegano, fazem com que haja uma valorização do cacau produzido na Cooperativa de Serviços Sustentáveis da Bahia (Coopesba), sediada em Ilhéus é o que garante a Presidente da cooperativa, Carine Assunção.

A Coopesba é conhecida pela fabricação de chocolates veganos, da marca Natucoa, que tradicionalmente comercializa chocolates nas versões 56%, 70% e 80% de cacau. A Natucoa tem comercializado, mensalmente, cerca de uma tonelada de mix de pó de chocolate, que são distribuídos nos estados da Bahia, Rio de Janeiro, Sergipe, São Paulo Rio Grande do Sul e Goiás.

O Bahia Produtiva é um projeto executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), financiado pelo Banco Mundial que nos últimos cinco anos tem investido no sistema produtivo do cacau e chocolate em municípios de territórios como Litoral Sul e Médio Rio de Contas e Baixo Sul.

Comercialização

Na capital, os chocolates são encontrados nas lojas do Cesol do Salvador Shopping e Salvador Norte Shopping, Porã Orgânico, Tarantino Restaurante, Deguste Saúde, Empório Nova Itapoã. No município de Lauro de Freitas os chocolates são encontrados na loja In Nature plataforma digital da startup Escoaf (www.escoarbrasil.com.br). Os produtos também são comercializados em outros estados como: São Paulo, Alagoas, Paraná, Rio Grande do Norte, Minas Gerais e na cidade de Brasília.

Repórter: Leiliane Fláu

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Bahia

Prorrogada fase de avaliação das inscrições do Bolsa Esporte até 28 de setembro

Publicado

em

Por

Voiced by Amazon Polly

Foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), da última terça-feira (21), portaria nº 96/2021 que prorroga a fase de avaliação das inscrições e análises dos documentos dos atletas, do Edital do Bolsa Esporte nº 01/2021, até o próximo dia 28 de setembro. O Edital e seus anexos podem ser consultadas no site da Sudesb.

Com um investimento de R$ 1,2 milhão, o edital oferece benefícios mensais de R$ 380 a R$ 2 mil para atletas baianos radicados no estado, desde a iniciação até o alto rendimento. O apoio é concedido pelo prazo de 1 ano e renovável por igual período. Serão atendidas 37 modalidades olímpicas e 21 paralímpicas, além de mais 25 classificadas como modalidades reconhecidas e vinculadas.

Criado em 2011, o Bolsa Esporte já investiu cerca de R$ 4,8 milhões nos seis editais.

Fonte: Ascom/Sudesb

Continue lendo

Copyright © 2021 DiBahia CNPJ: 41.275.067/0001-16