Conecte-se conosco

Mundo

China nega estar por trás de ataque cibernético

Publicado

em

Voiced by Amazon Polly

China criticou afirmações “infundadas” de que realizou um grande ataque cibernético contra a gigante da tecnologia Microsoft.

Um grupo de países ocidentais acusou a China de hackear o Microsoft Exchange — uma plataforma de email popular usada por empresas em todo o mundo.

A declaração conjunta acusou o Ministério de Segurança da China de minar a estabilidade e a segurança globais. A China sempre afirmou que se opõe a todas as formas de crimes cibernéticos.

Na segunda-feira (19/7), a Nova Zelândia se juntou ao grupo de países, incluindo Reino Unido, Estados Unidos e Austrália, ao culpar atores patrocinados pelo Estado chinês por “atividades cibernéticas maliciosas” no país, incluindo o ataque à Microsoft.

A embaixada chinesa em Wellington classificou as acusações de “infundadas e irresponsáveis”. “O governo chinês é um defensor ferrenho da segurança cibernética”, informou um comunicado publicado pela embaixada em resposta a um questionamento de repórteres. “Fazer acusações sem (provas) é malicioso.”

A embaixada chinesa na Austrália reafirmou essas observações, descrevendo Washington como “o campeão mundial de ataques cibernéticos maliciosos”.

O ataque contra a Microsoft afetou pelo menos 30 mil organizações em todo o mundo. O Exchange é uma plataforma de email usada por grandes corporações, pequenas empresas e órgãos públicos em todo o mundo.

Por G1

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mundo

Pedro Castillo toma posse como presidente do Peru

Publicado

em

Por

Voiced by Amazon Polly

Com participação do vice-presidente da República do Brasil, Hamilton Mourão, o candidato de esquerda Pedro Castillo tomou posse nessa quarta-feira, em Lima, (28) como presidente do Peru.

Durante o discurso de posse, o presidente reconheceu que o país está atrasado em relação ao combate à Covid-19, mas ressaltou que espera vacinar 70% da população até o fim deste ano. Segundo ele, os profissionais da educação devem ser prioridade na imunização contra o novo coronavírus.

Ainda sobre o tema, o chefe do Executivo peruano comentou que vai declarar a educação pública como estado de emergência para conseguir dobrar o investimento no setor.

Castillo prometeu manter o combate a corrupção, mas reclamou que a Lava Jato só prendeu políticos até o momento, enquanto empresários seguem soltos. Ele também defendeu uma nova Constituição.

“Juro pela população do Peru, por um país sem corrupção e por uma nova Constituição”, bradou.

O mandatário peruano afirmou querer uma economia para manter a “ordem e a previsibilidade”. Ele disse que o banco estatal do país vai concorrer com empréstimos privados. De acordo com Castillo, um “novo pacto” com investidores privados deve ser formando, mas informou que não vai nacionalizar a economia “mesmo remotamente”. 

O novo presidente, no entanto, também fez algumas declarações polêmicas. Além de afirmar que a estatal Petroperu vai trabalhar para regular o preço final dos combustíveis, Castillo disse que a mídia deve ser “melhor regulada”.

Pedro Castillo ao ser anunciado como vencedor das eleições presidenciais 2021 do

Pedro Castillo foi declarado vencedor da eleição na segunda-feira (19). A disputa presidencial no país aconteceu em 6 de junho, mas ações judiciais e pedidos de impugnação atrasaram anúncio do novo presidente peruano. 

A vitória de foi confirmada, então, pelo Júri Nacional de Eleições (JNE), principal corte eleitoral do país sul-americano. Ele disputou as eleições com a candidata da direita, Keiko Fujimori, em desvantagem por somente 44 mil votos.

A candidata é filha de Alberto Fujimori, que assumiu a presidência em 1990, mas governou como ditador entre 1992 e 2000, período em que o Congresso foi fechado. 

Oposição vai liderar congresso

Apesar da posse, Castillo poderá ter obstáculos em seu plano de governo após a vitória da aliança liderada pela oposição para liderar o Congresso do Peru. A votação, que ocorreu na segunda-feira (26), elegeu uma equipe chefiada pela parlamentar de centro María del Carmen Alva, do partido Ação Popular, com 69 votos.

Uma lista de candidatos proposta pelo partido de Castillo, Peru Livre, foi rejeitada por conta de questões procedimentais, ressaltando os desafios que o presidente eleito irá enfrentar para avançar reformas em um Congresso fragmentado onde nenhum partido detém a maioria.

Alva, que será a presidente do Congresso no período legislativo de 2021-22, teve um apoio importante do partido de direita Força Popular, de Keiko Fujimori.

Com informações da Agência Brasil e Reuters*

Continue lendo

Copyright © 2021 DiBahia CNPJ: 41.275.067/0001-16