Conecte-se conosco

Mundo

Inglaterra quer seguir com plano de dar fim às restrições no dia 19 de julho

Publicado

em

Voiced by Amazon Polly

O governo britânico decidiu seguir adiante com o plano de acabar com as restrições para conter a Covid-19 na Inglaterra. A flexibilização está programada para acontecer no dia 19 de julho. 

De acordo com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, a decisão final será tomada na próxima segunda-feira (12). Com as mudanças, o uso de máscaras não será mais obrigatório, ainda que permaneça recomendado para aglomerações. 

Além disso, não haverá mais limite de pessoas para encontros ao ar livre ou em ambientes fechados. A regra de distanciamento social mínimo de um metro também deixará de existir. 

Dessa forma, restaurantes, bares, cinemas e teatros poderão voltar a funcionar com capacidade total. Já as casas noturnas serão autorizadas a reabrir. 

A quarta e última fase do roteiro do governo para a saída do bloqueio na Inglaterra deveria ter acontecido um mês antes, mas foi adiada por conta do aumento de casos de Covid-19 provocados pela variante Delta, primeiramente identificada na Índia. 

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mundo

Estados Unidos lançam ataques aéreos em apoio às forças afegãs

Publicado

em

Por

Voiced by Amazon Polly

Os Estados Unidos realizaram ataques aéreos para apoiar forças do governo do Afeganistão que estão pressionadas pelo Talibã, enquanto forças estrangeiras lideradas pelos EUA cumprem as últimas etapas da sua retirada do país.

O porta-voz do Pentágono, John Kirby, disse a repórteres que os ataques aéreos foram em apoio às forças de segurança afegãs nos últimos dias, mas não deu detalhes.

O Talibã, através de seu porta-voz, Zabihullah Mujahid, afirmou que os ataques foram feitos na noite de quarta-feira (21) nos arredores da cidade de Kandahar, no sul, matando três dos seus combatentes e destruindo dois veículos.

“Confirmamos esses ataques aéreos e os condenamos da maneira mais forte possível. É um ataque em clara violação ao acordo de Doha porque eles não podem realizar operações após maio”, disse, referindo-se ao acordo entre EUA e o Talibã que abriu o caminho para a retirada das forças norte-americanas.

Continue lendo

Copyright © 2021 DiBahia CNPJ: 41.275.067/0001-16