Conecte-se conosco

Mundo

100 anos do partido comunista Chinês

Publicado

em

Voiced by Amazon Polly

Cem anos depois, Partido Comunista da China mantém domínio do país.

Partido cresceu em linha com a população da China e, neste mês, chegou a marca de 95,2 milhões de membros

O Partido Comunista da China celebra o 100º aniversário de sua fundação em 1º de julho. Apesar de ser uma organização política decididamente ateísta, o Partido Comunista da China gosta de falar sobre suas origens em termos religiosos.

Na literatura do partido e na mídia estatal, as antigas bases revolucionárias são rotuladas de “locais sagrados”. 

As visitas quase obrigatórias a tais locais pelas bases têm o objetivo de “batizar” membros com a “fé” comunista. Perto de atingir o centenário, o partido vive uma fase de exaltação na China. 

Veja perguntas e respostas sobre o partido comunista chinês: 

  • Quais são as origens do partido?

O Partido Comunista da China (PCCh) foi fundado em 1921, realizando seu primeiro congresso em Xangai, com a ajuda do Partido Comunista da União Soviética, durante um período turbulento após o país ter, uma década antes, abandonado 2 mil anos de governo dinástico.

Seus fundadores se inspiraram no marxismo, depois de ver como outros modelos políticos falharam na China.

  • Qual foi o papel de Mao Zedong na fundação do partido?

No congresso inicial, Mao Zedong era o representante da província de Hunan. 

Ele se tornou o comandante do Exército Vermelho em 1935 e se tornou o líder fundador da República Popular da China em 1949.

  • Quem faz parte do partido nos dias de hoje?

O PCCh cresceu aproximadamente em linha com a população da China, totalizando 95,2 milhões de membros neste mês – ou 6,7% da população chinesa.

Inicialmente fundado como um partido para camponeses e trabalhadores, o PCCh se tornou cada vez mais diversificado. Em 1982, mudou seu foco para o recrutamento de estudantes universitários e, em 2002, começou a receber empreendedores privados.

Os homens dominam o partido, com as mulheres representando apenas 28,8% dos membros. Todos os sete membros da liderança do partido são homens. Mais da metade dos membros possui ensino superior.

As minorias étnicas representam 7,5% dos membros, um pouco menos do que sua parcela na população da China. Os membros do partido devem ser ateus seculares, renunciando a religiões como o budismo e o taoísmo, que estão presentes na sociedade chinesa há séculos.

O Partido Comunista da China é o segundo maior partido político do mundo, mas tem metade do tamanho do Partido Bharatiya Janata da Índia.

  • Como acontece o ‘comunismo’ se a China possui economia de mercado?

Apesar do nome, o PCCh parou de trabalhar ativamente em direção ao conceito utópico de comunismo de Marx, que inclui a propriedade comum dos meios de produção e a abolição das classes sociais e do estado.

Em 1978, o líder chinês Deng Xiaoping iniciou medidas de “reforma e abertura” que lançaram as bases para uma economia de mercado em expansão, levando a uma reinterpretação da ideologia do partido de “socialismo com características chinesas”.

No entanto, o PCCh mantém um modelo leninista de autoritarismo e guarda firmemente seu governo de partido único.

  • Como participar do partido?

Os jovens chineses são expostos à vida política partidária desde os sete anos de idade quando entram na escola primária, e os alunos com boas notas e comportamento são escolhidos pelos professores para se juntarem aos Jovens Pioneiros, que usam lenços de pescoço vermelhos para se destacarem e recebem papéis de liderança e gerenciar outros alunos.

O mesmo processo se repete no colégio, onde bons alunos ingressam na Liga da Juventude, a ala adolescente do partido.

O pedido para entrar no partido propriamente dito é um processo trabalhoso que geralmente começa na universidade e dura de dois a três anos. O processo tem várias etapas, culminando em um juramento diante da bandeira com o símbolo da foice e do martelo, que representa o partido.

  • E o que significa participar do partido?

A filiação partidária confere prestígio nos círculos e empresas oficiais. A associação é útil para o avanço na carreira dentro do governo e no amplo setor público da China, onde os empregos são considerados mais seguros.

Os membros do partido também devem dar um passo à frente quando o dever chama – mais do que os cidadãos não partidários. Durante o surto inicial da Covid-19 em 2020, os trabalhadores da saúde e os trabalhadores comunitários que eram membros do partido estavam entre os primeiros a serem ativados.

Os membros do partido também estão sujeitos a regras disciplinares, que foram reforçadas sob Xi. Desde 2012, quando Xi assumiu o poder, mais de 1,4 milhão de funcionários foram punidos por corrupção ou gastos extravagantes.

Por CNN

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mundo

Pedro Castillo toma posse como presidente do Peru

Publicado

em

Por

Voiced by Amazon Polly

Com participação do vice-presidente da República do Brasil, Hamilton Mourão, o candidato de esquerda Pedro Castillo tomou posse nessa quarta-feira, em Lima, (28) como presidente do Peru.

Durante o discurso de posse, o presidente reconheceu que o país está atrasado em relação ao combate à Covid-19, mas ressaltou que espera vacinar 70% da população até o fim deste ano. Segundo ele, os profissionais da educação devem ser prioridade na imunização contra o novo coronavírus.

Ainda sobre o tema, o chefe do Executivo peruano comentou que vai declarar a educação pública como estado de emergência para conseguir dobrar o investimento no setor.

Castillo prometeu manter o combate a corrupção, mas reclamou que a Lava Jato só prendeu políticos até o momento, enquanto empresários seguem soltos. Ele também defendeu uma nova Constituição.

“Juro pela população do Peru, por um país sem corrupção e por uma nova Constituição”, bradou.

O mandatário peruano afirmou querer uma economia para manter a “ordem e a previsibilidade”. Ele disse que o banco estatal do país vai concorrer com empréstimos privados. De acordo com Castillo, um “novo pacto” com investidores privados deve ser formando, mas informou que não vai nacionalizar a economia “mesmo remotamente”. 

O novo presidente, no entanto, também fez algumas declarações polêmicas. Além de afirmar que a estatal Petroperu vai trabalhar para regular o preço final dos combustíveis, Castillo disse que a mídia deve ser “melhor regulada”.

Pedro Castillo ao ser anunciado como vencedor das eleições presidenciais 2021 do

Pedro Castillo foi declarado vencedor da eleição na segunda-feira (19). A disputa presidencial no país aconteceu em 6 de junho, mas ações judiciais e pedidos de impugnação atrasaram anúncio do novo presidente peruano. 

A vitória de foi confirmada, então, pelo Júri Nacional de Eleições (JNE), principal corte eleitoral do país sul-americano. Ele disputou as eleições com a candidata da direita, Keiko Fujimori, em desvantagem por somente 44 mil votos.

A candidata é filha de Alberto Fujimori, que assumiu a presidência em 1990, mas governou como ditador entre 1992 e 2000, período em que o Congresso foi fechado. 

Oposição vai liderar congresso

Apesar da posse, Castillo poderá ter obstáculos em seu plano de governo após a vitória da aliança liderada pela oposição para liderar o Congresso do Peru. A votação, que ocorreu na segunda-feira (26), elegeu uma equipe chefiada pela parlamentar de centro María del Carmen Alva, do partido Ação Popular, com 69 votos.

Uma lista de candidatos proposta pelo partido de Castillo, Peru Livre, foi rejeitada por conta de questões procedimentais, ressaltando os desafios que o presidente eleito irá enfrentar para avançar reformas em um Congresso fragmentado onde nenhum partido detém a maioria.

Alva, que será a presidente do Congresso no período legislativo de 2021-22, teve um apoio importante do partido de direita Força Popular, de Keiko Fujimori.

Com informações da Agência Brasil e Reuters*

Continue lendo

Copyright © 2021 DiBahia CNPJ: 41.275.067/0001-16