Conecte-se conosco

Elas

O poder das cores na imagem pessoal

Publicado

em

Voiced by Amazon Polly

As cores são fortes agentes em nossa comunicação pessoal, pois têm o poder de transmitir o que estamos sentindo e de provocar estímulos conscientes e inconscientes em quem nos observa. Isso não acontece apenas na moda, mas em todas as áreas que permeiam a nossa vida.

 Em entrevistas de emprego, azul-marinho, cinza-chumbo e branco são cores sóbrias e funcionam perfeitamente para você não pecar pelo excesso nem pela simplicidade.

A influência das cores na Imagem Pessoal

Poucos sabem, mas a influência das cores tem muito a dizer sobre o nosso humor, energia e como outras pessoas nos observam.  Essa experiência é defendida pela psicologia e vários segmentos de comunicação. No passado, por exemplo, os egípcios e chineses aproveitavam-se dos efeitos promovidos pelas cores a fim de curar, favorecer diferentes estados de consciência ou interceder no estado emocional do indivíduo.

Sobre a beleza natural: quando colocadas próximas ao rosto, as cores exercem um importante impacto sobre as nossas características faciais. Elas ressaltam ou suavizam linhas de expressão e carregam ou amenizam sombras de olheiras e outras manchinhas.

Uma coisa é certa: a paleta de cores bem definida é essencial para transmitir a mensagem desejada. 

Cores são ruídos na comunicação não-verbal, carregam símbolos que escolhemos usar junto ao nosso corpo. Geralmente, nos preocupamos com o que vestir para os compromissos profissionais, mas deixamos de prestar a devida atenção nesse elemento de grande impacto.

As cores transmitem uma mensagem não verbal importante no ambiente corporativo e, por esse motivo, podem ser escolhidas conforme a mensagem que você deseja transmitir no seu dia.

Escolha a cor certa.

Quais são as cores que você costuma usar? Essas cores estão alinhadas ao seu ambiente profissional? Quais características de personalidade você transmite ao usá-las? É este o seu propósito?

As cores que escolhemos usar devem ser coerentes com o discurso que fazemos a nosso respeito. Quando você diz: “sou confiável, responsável“ e suas roupas desmentem, dizendo: “sou imaturo, irritável”, passa uma imagem confusa.  Mesmo assim, elas imprimem significados positivos ou negativos que são interpretados pelas pessoas com as quais interagimos.

O que nem todas sabem é que a escolha da cor certa pode agir a favor da sua beleza natural e também das emoções provocadas nos seus interlocutores ao longo do dia, seja em conversas particulares ou em importantes reuniões de negociação.

Dica:

Cores fechadas/escuras passam a mensagem de formalidade, credibilidade e seriedade. Ideais para os momentos em que a racionalidade deve prevalecer. 

As foscas, que são as cores com fundo mais acinzentado ou esfumaçado, como: os azuis acinzentados, vermelho queimado, verde musgo, transmitem equilíbrio e discrição. Torna você acessível e não impõe barreira com seu interlocutor. Tons foscos são excelentes para lidar com pessoas ou reuniões difíceis.

Cores claras como branco, beges, tons pastéis, são casuais. Contribuem para aproximar, trazer leveza, flexibilidade.

Já as cores vibrantes transmitem informalidade, criatividade e emoção – laranja, azul turquesa, amarelo… São ótimas para dar vida ao visual! Indicadas para momentos em que você precisa demonstrar coragem ou bom humor.

Cosmetóloga, Maquiadora , Consultora de Imagem, Produtora de Moda, Especialista em Coloração Pessoal. Sua experiência foi marcada nos bastidores da SPFW, foi responsável pela caracterização em diversas novelas, atualmente docente de Maquiagem, Análise de Coloração Pessoal e Comportamento. Atende Consultora de Imagem Pessoal e Corprativo.

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Brasil

Governo Federal sanciona programa de combate à violência contra a mulher

Publicado

em

Por

Voiced by Amazon Polly

Foi sancionado nesta quarta-feira (28) o projeto de lei que cria o programa de cooperação Sinal Vermelho para combater a violência doméstica contra as mulheres. Com a medida, o governo, o Ministério Público e a Defensoria Pública poderão firmar parcerias com estabelecimentos privados para ajudar a encaminhar denúncias contra os agressores.

A sanção, realizada durante cerimônia no Palácio do Planalto, oficializa para todo o país a medida, que foi implantada inicialmente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) para incentivar as vítimas de violência doméstica a denunciarem agressões nas farmácias.

Nesses casos, os estabelecimentos são treinados para ajudar vítimas de violência. Basta mostrar um X vermelho na palma da mão, pintado com batom ou tinta de caneta, para que o atendente, ou o farmacêutico, entenda tratar-se de uma denúncia e em seguida acionar a polícia.
Durante o evento, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou que o presidente Bolsonaro tem compromisso com o combate à violência contra a mulher.

“É uma lei que já pegou. O Brasil inteiro está fazendo um X na mão. É uma lei que está sendo sancionada, mas que já pegou no Brasil. Eu tenho recebido embaixadores, eu tenho recebido contatos de outros países para entender o que é o X na mão. A gente está fazendo história”, afirmou.

Para a ministra-chefe da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, a sanção do projeto mostra que a sociedade não tolera a violência contra a mulher e que esforços não serão poupados para ampliar a rede de conscientização.

“A violência contra a mulher é um problema de toda a sociedade, e é com coragem e seriedade que a gente tem que tratar a importância dessa pauta”, disse Flávia.

O projeto também altera a Lei Maria da Penha para criar a pena contra a violência psicológica, caracterizada por ameaças, constrangimento, humilhação, ridicularização, chantagem e limitação do direito de ir e vir da mulher. A pena vai variar entre seis meses e dois anos de prisão.

A partir de agora, juízes poderão afastar imediatamente o agressor da convivência com a vítima diante de risco à integridade psicológica da mulher. Atualmente, a restrição ocorre somente diante de risco à integridade física da vítima e dos dependentes.

Continue lendo

Copyright © 2021 DiBahia CNPJ: 41.275.067/0001-16