Conecte-se conosco

Mundo

Não venham para Estados Unidos da América

Publicado

em

Voiced by Amazon Polly

Vice-presidente chamou de ‘perigoso’ o trajeto entre o México e os EUA: ‘Existem métodos legais’.

A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, pediu nesta segunda-feira (7) que migrantes da América Central “não venham” ao seu país pela fronteira sul, de forma ilegal.

“Quero deixar claro para as pessoas desta região que estão pensando em seguir pelo perigoso caminho para a fronteira dos EUA com o México, não venham”, disse Harris em entrevista coletiva.

Eleito com um discurso menos duro sobre imigração, o governo de Joe Biden tem sido constantemente criticado pela forma com que imigrantes são tratados nos centros de fronteira.

Os centros de triagem no Texas, superlotados, são alvo de críticas desde o governo de Donald Trump, que defendia política de tolerância zero aos imigrantes clandestinos.

A fala de Harris aconteceu após uma reunião com o presidente da Guatemala, Alejandro Giammattei, em sua primeira viagem oficial à região.

A vice-presidente foi designada para ficar à frente na diplomacia com o México e países da América Central, para encontrar uma forma de diminuir o gargalo migratório na fronteira.

“Os EUA continuarão a fazer cumprir nossas leis e a proteger nossa fronteira”, disse Harris.

pOR g1

Seriedade e Confiança Tudo isso em um só lugar Informação feita para VOCÊ

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mundo

ONU: mais de 8,5 mil crianças foram usadas como soldados em 2020

Publicado

em

Por

Voiced by Amazon Polly

Mais de 8,5 mil crianças foram usadas como soldados no ano passado em vários conflitos pelo mundo, e quase 2,7 mil foram mortas, informou a Organização das Nações Unidas (ONU) nessa segunda-feira (21). 

O relatório anual do secretário-geral da ONU, António Guterres, ao Conselho de Segurança da ONU sobre crianças e conflitos armados abrange assassinatos, mutilações e abuso sexual de crianças, além da abdução ou recrutamento, negação de acesso a atendimento de saúde e ataques a escolas e hospitais.

O documento mostra que violações foram cometidas contra 19,37 mil crianças em 21 conflitos. A maioria das violações em 2020 foi cometida na Somália, República Democrática do Congo, no Afeganistão, na Síria e no Iêmen.

De acordo com o relatório, 8,52 mil crianças foram utilizadas como soldados no ano passado, enquanto 2,67 mil foram assassinadas e 5,74 mil ficaram feridas em diversos conflitos. 

O documento também inclui uma lista negra que tem a intenção de constranger as partes em conflitos, com a esperança de puni-las para implementar medidas de proteção a crianças. A lista tem sido objeto de polêmica, com diplomatas afirmando que a Arábia Saudita e Israel fizeram pressão nos últimos anos para ficar de fora dela. 

Israel nunca figurou na lista, enquanto a coalizão militar liderada pelos sauditas foi removida da lista em 2020, anos após ter sido apontada e constrangida por causar mortes e ferir crianças no Iêmen.

Em uma iniciativa para atenuar as controvérsias em torno do relatório, a lista publicada em 2017 por Guterres foi dividida em duas categorias. Uma delas lista as partes que colocaram em vigor medidas para proteger crianças e a outra inclui partes que não tomaram nenhuma atitude. 

Continue lendo

Copyright © 2021 DiBahia CNPJ: 41.275.067/0001-16