Conecte-se conosco

Bahia

Vocalista do É o Tcham! se irrita após não conseguir se vacinar na Fonte Nova

Publicado

em

Voiced by Amazon Polly

O vocalista do É o Tchan, Compadre Washington, gravou um vídeo em que reclama por não ter conseguido se vacinar na Arena Fonte Nova, nesta quinta-feira (13). Em contato com a reportagem, ele afirma que chegou ao local às 15h35. A vacinação vai até 16h. O cantor tem 59 anos e é hipertenso.

Em um vídeo gravado e compartilhado nas redes sociais, o cantor cobra do prefeito Bruno Reis (DEM) e do secretário de Saúde, Leo Prates (PDT), uma posição sobre o caso. “A pessoa vem se vacinar, os caras encerram a hora que eles querem. E aí, como é que faz? Alô, prefeito. Alô, secretário. Fica difícil, tem que botar ordem”, reclamou. No vídeo, Washington mostra que o relógio marcava 16h25.

Apesar da vacinação se encerrar às 16h, a Transalvador faz o ordenamento das pessoas que já estão na fila até esse horário (esse público pode se vacinar até às 17h). Washington, por sua vez, alega que não foi procurado por ninguém.

 “Tinha outras pessoas na minha frente e o cara que deveria vir avisar que se encerra às 16h, não veio ninguém”, declarou o cantor”.

O artista disse ainda que mora ao lado da Arena e que vai retornar ao local nesta sexta (14).

Veja o vídeo:

A Secretaria Municipal de Saúde de Salvador declarou que “a vacinação em Salvador é encerrada às 16h como informado diariamente nos canais oficiais da Prefeitura, da Secretaria de Saúde e também através da imprensa”. “Hoje, na Arena Fonte Nova, a última dose foi aplicada às 16h20 após o ‘travamento’ da fila que já chegava ao bairro de Nazaré”, declarou a pasta.

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Bahia

Agnelo Santos é reconduzido ao cargo de prefeito de Santa Cruz Cabrália

Publicado

em

Por

Voiced by Amazon Polly

O desembargador Federal Ney Bello concedeu habeas corpus que reconduziu Agnelo Santos ao cargo de  prefeito dizendo que “verifica que inexistem neste momento condições de manutenção da medida cautelar de afastamento ao cargo público no caso de Prefeito Municipal em face à ausência da contemporaneidade pois o delito em apuração segundo noticiam os autos foi cometido há mais de 3 anos e conforme reconhecido por esta corte se deu antes da posse no mandato em 1º de Janeiro de 2018” informou o desembargador. 

Ele ainda justifica na sua decisão expedida hoje que “não é de todo razoável manter o prefeito eleito democraticamente afastado do exercício do seu mandato”.

A cerimônia de recondução será na manhã desta quinta-feira 25. 

Continue lendo

Copyright © 2021 DiBahia CNPJ: 41.275.067/0001-16