Conecte-se conosco

Sociedade

Em Defesa do Lar

Publicado

em

Voiced by Amazon Polly

Nos últimos dias na cidade de Eunápolis, aconteceu um fato que ninguém esperava o Sr. Simonetto Porto Medeiros de 43 ano mais conhecido como “Neto da empada” foi encontrado morto dentro de sua residência e segundo a perícia inicial que foi feita no local, o corpo estava com perfurações no abdômen e na região do tórax o que indicaria golpes de faca. Pertences como a carteira de neto da empada e o celular foram supostamente roubados para possivelmente ocultar uma real motivação do crime.

Eu gostaria de começar este artigo, com algo óbvio, porém necessário. O direito da posse de arma de fogo para o cidadão. Vários casos como esses que não são divulgados pela mídia, acontecem diariamente e nós não vemos, ou fingimos que não vemos o que é um fato triste. O Brasil infelizmente sofre com milhares de homicídios por dia e por ano e morrem sem o direito a defesa, refém de pessoas mal intencionadas que são indivíduos que não são “esquecidos” ou “vitima da sociedade”. São pessoas ruins com intenções ruins com o intuito de fazer o mal ao próximo. 

Se o estado tivesse o interesse e a vontade de criar políticas públicas voltadas para a segurança residencial, a real flexibilização da posse de armas inúmeros crimes deixariam de acontecer, e até de existir, pois, o malfeitor iria pensar duas vezes antes de praticar tal ato. Aliado a isso, o estado também poderia criar uma política educacional nas escolas e universidades, da importância da segurança para as nossas vidas, da importância da propriedade privada e das liberdades individuais do indivíduo poderíamos construir uma sociedade melhor, mais informada e mais desenvolvida. Um exemplo de um dado interessante é que em países que a posse ou o porte de armas é liberado, a chance de acontecer um estupro ou uma tentativa de estupro em uma mulher é de apenas 3%, uma porcentagem muito baixa e muito significativa para segurança da mulher. Com a posse de armas liberado, a mulher poderia se defender do marido que a persegue e que invade a propriedade da mulher para tentar matar ou cometer crime parecido.

Ainda falando das mulheres, foi aprovada recentemente no Brasil a “Lei do Stalker” ou “Crime contra a perseguição”. Que entra para dar mais rigor e punir de forma definitiva aquele ex marido ou ex namorado que segue a mulher ou o homem e tenta de todas as formas perseguir, seja por redes sociais, contratando um detetive, ou perguntando a amigos e familiares. Desde o momento em que essa lei entrou em vigor, todas essas ações passaram a ser crimes com penas de detenção de 06 meses a 2 anos. Ainda sim, sabemos que por mais que seja um avanço significativo, ainda sim, é ineficiente em muitos casos onde vemos homens desrespeitando medidas protetivas e matando suas ex-companheiras. Segundo o Ministério da Mulher, Família e dos Direitos Humanos o número de denúncias de violência doméstica contra a mulher no segundo semestre de 2020 é de 154.649 e o número de violações consumadas contra a mulher é de 392.682. Número esse que é assustador e que poderia ser diminuído se a mulher tivesse a facilitação do direito a defesa, com a posse ou o porte de arma por exemplo.

E, porque não falar também no direito ao homem de se defender da sua ex – companheira ou até mesmo da atual companheira? É um tabu que deve ser quebrado perante a sociedade. Há vários casos de violência conjugal acontecendo todos os dias, mulheres extremamente ciumentas ou agressivas que muitas vezes não suportam a dor da perda ou são inseguras e acabam descontando tudo no marido. E parando para pensar a mulher é inteligente até nesse aspecto, pois a maioria não quer ir para a prisão, então ela procura deixar lesões leves como tapas ou beliscões na maioria das vezes, mas há casos também de homicídios consumados, porém não são falados e não são noticiados e isso acontece pelo simples fato de que em qualquer tribunal que a mulher for, ela sempre será a vítima, por ser o elo mais fraco, seja biologicamente ou psicologicamente. Ainda segundo o Ministério da Mulher, Família de dos Direitos Humanos no mesmo período de pesquisa a violência doméstica contra o homem é de 35. 547 denúncias e 81.898 violações consumadas contra os homens, números esses que são pequenos que poderiam ser ainda menores se houvesse também para o homem essa mesma facilitação.

Fato é que seja homem ou mulher, Hétero ou homossexual temos que lutar pelo direito a defesa, pois sabemos que o estado é falho quando se trata de segurança pública, a polícia militar em muitos locais não tem efetivo suficiente, são mal pagos, mal preparados e nem sempre vão estar disponíveis quando precisarmos. Então devemos refletir sobre começar a se trabalhar esse tipo de políticas públicas começando de casa, do nosso município, da nossa região. Para podermos ser o exemplo para outros, para instigar ao estado de que somos necessitados e de que é uma realidade que bate a porta, a defesa da vida é necessária, a defesa do nosso lar é necessária. E só conseguiremos esses direitos se tivermos consciência de que é um problema realmente existente e que só vai diminuir se nós como cidadãos dermos o primeiro passo tomando essa iniciativa de lutar por nossos direitos.

.

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Sociedade

Pastora arruma segunda esposa para marido pastor após revelação

Publicado

em

Por

Pastores Éden Asvolinsque e Fernanda Asvolinsque e nova esposa
Voiced by Amazon Polly

De posse dessa ‘promessa mortal’, a pastora já arrumou a sua substituta para se casar com o seu esposo pastor.

A pastora Fernanda Asvolinsque, de 43 anos, que lidera com o seu esposo, o pastor Éden Asvolinsque, a Igreja Juventude de Cristo em Barra Mansa (RJ), desta vez foi longe demais.

O casal está sendo alvo de muitas críticas desde que a pastora arrumou uma jovem para ser a segunda esposa do seu marido.

A justificativa da religiosa é que, em novembro de 2020, ela recebeu uma revelação de Deus, de que está sendo preparada para ser ‘colhida’ da terra em 2021, ou seja, vai morrer esse ano.

De posse dessa ‘promessa mortal’, a pastora já arrumou a sua substituta para se casar com o pastor, quando ela for para o plano espiritual.

Fernanda afirma que está muito doente, mas que não irá ao médico, porque a vontade de Deus é de que ela morra esse ano.

“Deus disse a mim desde novembro, que está me preparando, porque Ele vai me colher nesse ano. Eu tô com paz na minha alma, estou bem resolvida em relação a tudo isso… Agora era o momento de vocês blindarem o pastor, blindarem a minha casa, blindarem a minha família, blindarem a igreja… Eu ouvi, eu sei o que Deus falou pra mim”, disse a pastora.

As declarações da pastora geraram polêmica no meio evangélico, e muitos acreditam, inclusive, que tudo não passa de uma armação do casal que, supostamente, curte um relacionamento a três. Ou que até mesmo estão separados, mas não querem tornar público, para não perder os fiéis e seus dízimos.

Após muitas críticas e insinuações contra o casal de pastores, que agora é um trisal, a pastora Fernanda desabafou nos Stories do seu Instagram.

Veja o vídeo na integra.

Continue lendo

Copyright © 2021 DiBahia CNPJ: 41.275.067/0001-16