Conecte-se conosco

Mundo

URGENTE – Presidente do Chade Idriss Déby é morto em campo de batalha

Publicado

em

O Presidente do Chade, Idriss Déby, que estava no poder há 30 anos, morreu esta terça-feira após ferimentos sofridos enquanto comandava o exército na luta contra rebeldes no norte de Chade, anunciou o porta-voz do exército.

Chade, também chamado de Tchade, oficialmente República do Chade é um país sem acesso ao mar, localizado no centro-norte da África. Faz fronteira com a Líbia a norte, com o Sudão a leste, com a República Centro-Africana a sul, com Camarões e Nigéria a sudoeste e com o Níger a oeste.

O Presidente Idriss Déby, de 68 anos, morreu em consequência de ferimentos sofridos enquanto comandava o exército num combate no norte contra rebeldes da Frente para a Mudança e Concórdia no Chade (FACT), durante o fim de semana, anunciou o porta-voz dos militares na televisão estatal.

“É com profunda amargura que anunciamos ao povo chadiano a morte esta terça-feira, 20 de abril de 2021, do marechal do Chade”, enquanto “defendia a integridade territorial no campo de batalha”, anunciou o porta-voz do Exército, general Azem Bermandoa Agouna, numa declaração lida na TV Tchad. 

Entretanto, um conselho militar tomou o poder no Chade. O filho do chefe Estado Mahamat Idriss Déby Itno, chefe da guarda presidencial, foi nomeado como seu sucessor.

A morte de Idriss Déby, um dos líderes africanos há mais tempo no poder, ocorre um dia depois de ter sido anunciado como vencedor das presidenciais de 11 de abril e reeleito para um sexto mandato, com 79,32% dos votos, segundo resultados provisórios divulgados pela Comissão Nacional Eleitoral Independente.

da redação com Agências internacionais

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mundo

Policial é morto e 80 alunos são sequestrados em ataque na Nigéria

Publicado

em

Por

Voiced by Amazon Polly

Homens armados mataram um policial e sequestraram pelo menos 80 alunos e cinco professores em uma escola do estado nigeriano de Kebbi, informaram a polícia, moradores e um professor.

É o terceiro sequestro em massa em três meses no noroeste da Nigéria, e as autoridades culpam bandidos armados que buscam resgates.

Usman Aliyu, que leciona na escola, disse que os atiradores levaram mais de 80 alunos, a maioria meninas.

“Eles mataram um [dos policiais], entraram pelo portão e foram direto às salas de aula”, afirmou ele à Reuters.

O porta-voz da polícia de Kebbi, Nafiu Abubakar, disse que os bandidos mataram um policial durante uma troca de tiros e que também balearam um aluno, que estava recebendo tratamento médico.

A polícia ainda não havia comunicado o número de alunos desaparecidos na noite de quinta-feira (17), e um porta-voz do governador de Kebbi afirmou que a força está realizando uma contagem dos desaparecidos.

Sequestros que elevam tristeza ao povo nigeriano não é novidade. Desta vez levaram mais de 80 alunos, a maioria meninas.

O ataque ocorreu em um colégio do governo federal da cidade remota de Birnin Yauri. Segundo Abubakar, forças de segurança estão vasculhando uma floresta próxima à procura dos alunos e professores raptados.

Atiku Aboki, um morador que foi à escola pouco depois de os disparos terminarem, informou que viu uma cena de pânico e confusão enquanto pessoas procuravam os filhos.

Bandidos em busca de resgate já sequestraram mais de 800 alunos nigerianos em escolas desde dezembro. Alguns foram libertados e outros continuam desaparecidos.

* Ardo Hazzad, Garba Muhammed, Camillus Eboh e Angela Ukomadu – Repórteres da Reuters

Com Agência Brasil

Continue lendo

Copyright © 2021 DiBahia CNPJ: 41.275.067/0001-16