Conecte-se conosco

Sociedade

Mandioca o ouro cultivado por povos indígenas que em dias atuais é fonte de renda na agricultura familiar no Extremo Sul da Bahia.

Publicado

em

Existem várias lendas que explicam a origem da mandioca, porém a mais conhecida é sobre Mani.
Mani era uma indiazinha muito estimada pela tribo tupi onde vivia. Ela era neta do cacique e a gravidez da sua mãe foi motivo de tristeza para o chefe da tribo. Isso porque ela tinha engravidado e não era casada com um bravo guerreiro, tal como ele desejava.

Até que um dia, ele teve um sonho que o aconselhava a acreditar na filha, pois ela continuava pura e dizia a verdade ao pai. Desde então, aceitou a gravidez e ficou muito contente com a chegada da sua neta. Certo dia, pela manhã, Mani foi encontrada morta por sua mãe. Ela simplesmente tinha morrido durante o sono e, mesmo sem vida, apresentava um semblante sorridente.

Triste com a perda, sua mãe enterrou Mani dentro da sua oca e suas lágrimas umedeciam a terra tal como se estivesse sendo regada. Dias depois, nesse mesmo local nasceu uma planta, diferente de todas as que conhecia, a qual ela passou a cuidar. Percebendo que a terra estava ficando rachada, cavou na esperança de que pudesse desenterrar sua filha com vida. No entanto, encontrou uma raiz, a mandioca, que recebeu esse nome em decorrência da junção do nome de Mani e da palavra oca.

Abro espaço aqui para falar da rainha entre todos os tubérculos cultivados em nossa região,a mandioca e sua grande diversidade, dela aproveitamos tudo desde sua raiz a sua folha.
A mandioca é parte integrante da cultura alimentar brasileira. De norte a sul do país, diversas receitas culinárias utilizam o alimento como ingrediente, quer em preparações doces ou salgadas.
O cultivo de mandioca e a produção de farinha são atividades tradicionais no Extremo Sul da Bahia, mas nos últimos anos, o que era subsistência vem ganhando força e produzindo resultados cada vez mais expressivos. Exemplo disso é a produtividade obtida por agricultores que cultivam mandioca na região, que é o dobro da média do estado da Bahia.

A comunidade rural de União Baiana, Distrito da cidade de Itagimirim BA por meio de uma associação de agricultores intitulada Roça do povo a 17 anos vem plantando e colhendo e produzindo produtos da fécula da mandioca(polvilho ou goma)em parceria com a Veracel Celulose. O Governo do estado dos ao Distrito de União Baiana ganha unidade polivalente de beneficiamento que irá garantir renda para agricultores da comunidade.


Um convênio firmado entre o Governo do Estado, via Bahia Produtiva, projeto executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e a Associação de Agricultores de União Baiana.

A iniciativa está beneficiando diretamente 48 famílias, e inclui não só as obras de construção civil, mas também a aquisição de máquinas e equipamentos, veículos e assistência técnica e extensão rural (Ater), entre outras ações. O projeto, denominado Roça do Povo, do Distrito de União Baiana, em Itagimirim, há 16 anos mantém um dos maiores plantios de mandioca da Costa do Descobrimento. Pelos produtores e produtoras da associação são colhidos, anualmente, mais de 1,5 milhão de quilos da raiz, para a produção da farinha, fécula e derivados.

O Bahia Produtiva é um projeto do Governo do Estado, executado pela SDR/CAR, a partir de acordo de empréstimo com o Banco Mundial. A ação seleciona e apoia projetos de inclusão produtiva e acesso ao mercado, socioambientais, de abastecimento de água e esgotamento sanitário, de interesse das comunidades mais pobres da Bahia, nos 27 Territórios de Identidade do Estado, desde 2015. Por meio do projeto são apoiados sistemas produtivos estratégicos como o da mandiocultura e outros.

Falar desse projeto me enche o coração de felicidade, orgulho e esperança ,fui professora nessa comunidade durante alguns anos e acompanhei a luta dos filhos dos agricultores por respeito e reconhecimento pelo trabalho realizado pelos pais, hoje presidente da Associação Agnevaldo Cardoso que também é Policial Militar, Epamenondas Portugal que atualmente exerce seu segundo mandato como Vereador e Luciane Félix Pedagoga Leciona na escola da comunidade de União Bahiana tocam o projeto desde o início e merecem ser ovacionado pela persistência e perseverança buscando melhoria e qualidade de vida para as famílias da comunidade, meu respeito e admiração a todos vocês.

Iza Souza

Iza Souza é Gastronoma formada pelo Senac Porto Seguro,especialista em culinária Bahiana,Cozinha Ancestral e pesquisadora da Culinária Indígena Pataxós.

Continue lendo
Propaganda
2 Comments

2 Comentários

  1. João Xavier

    10 de Abril, 2021 at 15:35

    Bolo de aimpim com bastante coco

    Parabéns Iza, excelente conteúdo!

  2. Rod Pereira

    11 de Abril, 2021 at 12:41

    são tantas: Bolinho de aipim frito, Bolo de Aipim, Escondidinho, Sagu e por ai vai…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Sociedade

Pastora arruma segunda esposa para marido pastor após revelação

Publicado

em

Por

Pastores Éden Asvolinsque e Fernanda Asvolinsque e nova esposa
Voiced by Amazon Polly

De posse dessa ‘promessa mortal’, a pastora já arrumou a sua substituta para se casar com o seu esposo pastor.

A pastora Fernanda Asvolinsque, de 43 anos, que lidera com o seu esposo, o pastor Éden Asvolinsque, a Igreja Juventude de Cristo em Barra Mansa (RJ), desta vez foi longe demais.

O casal está sendo alvo de muitas críticas desde que a pastora arrumou uma jovem para ser a segunda esposa do seu marido.

A justificativa da religiosa é que, em novembro de 2020, ela recebeu uma revelação de Deus, de que está sendo preparada para ser ‘colhida’ da terra em 2021, ou seja, vai morrer esse ano.

De posse dessa ‘promessa mortal’, a pastora já arrumou a sua substituta para se casar com o pastor, quando ela for para o plano espiritual.

Fernanda afirma que está muito doente, mas que não irá ao médico, porque a vontade de Deus é de que ela morra esse ano.

“Deus disse a mim desde novembro, que está me preparando, porque Ele vai me colher nesse ano. Eu tô com paz na minha alma, estou bem resolvida em relação a tudo isso… Agora era o momento de vocês blindarem o pastor, blindarem a minha casa, blindarem a minha família, blindarem a igreja… Eu ouvi, eu sei o que Deus falou pra mim”, disse a pastora.

As declarações da pastora geraram polêmica no meio evangélico, e muitos acreditam, inclusive, que tudo não passa de uma armação do casal que, supostamente, curte um relacionamento a três. Ou que até mesmo estão separados, mas não querem tornar público, para não perder os fiéis e seus dízimos.

Após muitas críticas e insinuações contra o casal de pastores, que agora é um trisal, a pastora Fernanda desabafou nos Stories do seu Instagram.

Veja o vídeo na integra.

Continue lendo

Copyright © 2021 DiBahia CNPJ: 41.275.067/0001-16