Conecte-se conosco

Brasil

Filipe Martins, assessor especial do governo, usa gesto obsceno durante sessão plenária e Bolsonaro diz que irá afastá-lo do Palácio do Planalto.

Publicado

em

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) determinou apuração do gesto feito pelo assessor especial Filipe Martins. O caso aconteceu na quarta-feira (24) durante uma sessão plenária da qual participava o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

Martins acompanhou Araújo em uma sessão de debates para a qual o ministro foi convidado, a fim de prestar informações sobre a atuação do ministério nos esforços para obtenção de vacinas contra a Covid. O assessor estava sentado atrás do chanceler na sala do plenário virtual. Logo no início da sessão, durante a fala de abertura de Pacheco, Martins juntou os dedos indicador e polegar da mão direita de forma arredondada e passou sobre o paletó do terno que trajava.

Randolfe Rodrigues (AP) quem alertou sobre o episódio, ele pediu a expulsão de Martins do prédio do senado, também disse que o assessor fez “gestos obscenos” e que é “capacho do presidente da República.”

Após os resultados negativos do gesto do assessor especial no senado, o presidente Jair Bolsonaro disse a interlocutores que irá tirá-lo do Palácio do Planalto. Com isso, tenta desvencilhar-se do desgastes provocado por Martins.

O gesto feito por Martins se parece com o associado a movimentos supremacistas brancos. Por meio de uma rede social, ele disse que estava somente ajeitando a lapela do terno.Em outras ocasiões, auxiliares problemáticos foram acomodados em outros espaços no governo. Martins é de confiança dos filhos de Bolsonaro.

Fonte: G1

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Brasil

CPI da Pandemia ouve Wilson Witzel, ex-governador do Rio de Janeiro

Publicado

em

Por

Voiced by Amazon Polly

Acompanhe ao vivo a Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia que hoje ouve o ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel. Os requerimentos de convocação são dos senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE). Ele deve ser questionado sobre denúncias de corrupção na área da saúde do estado, inclusive com recursos federais destinados ao combate à covid-19.

Continue lendo

Copyright © 2021 DiBahia CNPJ: 41.275.067/0001-16